UNIVERSO CRISTÃO Livros políticos e de poesia são introduzidos nas Igrejas controladas pelo governo Chinês

Em uma das igrejas do movimento das Três Autonomias (controladas pelo governo) na cidade de Anshan, na província de Liaoning, nordeste da China, a biblioteca que serve para promover a educação dos cristãos tem recebido livros do governo, com a intenção de moldar seus ideais de forma sutil.

Nos últimos meses, as estantes da biblioteca foram preenchidas com todos os tipos de livros seculares, incluindo biografias de Mao Zedong , Zhou Enlai e outros líderes comunistas chineses; uma série de livros sobre as batalhas da Segunda Guerra Mundial e a “revolução vermelha”; o clássico de três personagens (livros sobre confucionismo para crianças); Poesia da dinastia Tang e Song; e assim por diante.

“Esses livros foram publicados pelo governo da cidade em 2 de dezembro de 2018. Existem 500 livros que os cristãos podem pegar emprestado e ler como quiserem, assim como uma biblioteca pública”, disse o responsável pela igreja.

Esta situação tem trazido desconfiança, e alguns cristãos acreditam que as autoridades estão usando a biblioteca para doutriná-los usando métodos “suaves”, igualando sutilmente a religião à revolução e ao partido.

No mesmo período, outra igreja aliada às Três Autonomias do Movimento Patriótico (TSPM), em outro distrito de Anshan também recebeu 500 livros seculares de departamentos do governo. Depois que os livros foram entregues, o gerente da igreja era obrigado a gravar um vídeo e enviá-lo para o diretor do Departamento de Assuntos Religiosos local.

A introdução de livros seculares nas igrejas é parte da campanha nacional de “quatro requisitos” para promover a “sinicização ” da religião. A campanha teve lançamento em junho de 2018, e traz séries de exigências às igrejas da aliadas, dentre elas, que as comunidades religiosas levantem ritualmente a bandeira nacional e cantem o hino nacional, promovam a constituição e as leis chinesas, “Valores Socialistas Centrais” e “a excelente cultura tradicional da China”.

O pastor Bob Fu, fundador da organização ChinaAid, que monitora os índices de perseguição religiosa na China e presta auxílio aos cristãos perseguidos, explica que a sinicização se trata de uma adaptação da doutrina cristã aos ideais do Partido Comunista Chinês, o único do país, e que o governo visa “cultivar e implementar os valores centrais socialistas” como referência para a regulamentação da atividade religiosa na China.

Cristãos locais relataram a Bitter Winter que as autoridades exigiram que pastores e membros do coro das Igrejas TSPM na província de Liaoning, comparecessem à capital provincial em janeiro deste ano, e participassem de uma apresentação do hino nacional. Na ocasião, a maioria dos membros se opuseram à idéia e se recusaram a participar.

Redação CPADNews / com informações de Bitter Winter, ChinaAid e Gospel Mais