Muçulmano desiste de suicídio ao ouvir pregação em megafone

Um jovem muçulmano de berço, que seguia rigorosamente as práticas do Islã, se dedicava em praticar o ritual namaz (orações prescritas pelo Islã para serem feitas cinco vezes ao dia), e recitar a du’a (súplicas pessoais), se percebeu atormentado por volta dos seus 20 e poucos anos.

Sameer estava mentalmente angustiado e exausto, e não sabia lidar com seus problemas, o que o fez cair em profunda depressão. A raiva e os pensamentos suicidas o consumiram e tiravam seu sono.

“Estou enfrentando tantos problemas em minha vida pessoal e em minha vida familiar, mas não sei como superá-los. Por favor, ouça a minha oração, responda-me e me ajude a me livrar de todos os meus problemas”, suplicava ele, chorando, para Alá silenciosamente em suas orações.

Na esperança de fugir dos seus problemas, Sameer começou a usar a medicações e misturas psicotrópicas, mas com o tempo foi perdendo o efeito de sedação, e apartir daí ele começou a injetar outras drogas na veia e se entregou no alcoolismo.

Entregue à rotina de drogas, álcool e mulheres, ele foi se perdendo cada vez mais na busca de algo que lhe trouxesse uma nova sensação. E nessa busca, perdeu pessoas que amava, e se viu no “fundo do poço”, achando que a única saída para ele era o suicídio.

Com uma corda, Sammer se dirigiu a uma árvore e preparou-se para se enforcar. Porém, no mesmo instante, havia um culto evangelístico próximo ao local onde iria se enforcar, e pelo alto-falante ele podia ouvir um homem falando.

“Oh, para o homem prestes a cometer suicídio, eu tenho algo a dizer: você não precisa morrer agora Nosso Senhor Jesus Cristo morreu por você para que você possa ter paz e vida. Ele morreu para lhe resgatar dos seus pecados e ressuscitou dos mortos para glorificá-lo como Seu filho. Se você crer em Jesus, será salvo do pecado, da iniquidade e encontrará ajuda para seus problemas”, dizia o pregador com o alto-falante.

Enquanto ele mal podia acreditar no que seus ouvidos captavam, seu coração parecia pronto para saltar de seu peito. Chegou a pensar se aquilo poderia ser real, mas retirou a corda da árvore, enrolou-a em sua mão e foi para o local aonde estava acontecia o culto.

Quando Sameer se aproximou, causou medo em muitas pessoas, afinal, ele era um muçulmano fanático conhecido na região e estava segurando uma corda.

“Certamente, ele deve estar vindo para atacar o pregador”, pensaram alguns. O evangelista então pediu a Sameer que fosse ao palco e levasse a corda consigo.

O pregador era Pastor Paul, que também é um ex-muçulmano e atual diretor da organização Bíblias para o Oriente Médio. O rapaz então se aproximou, explicou o que havia acontecido e pediu orações por sua vida. Quando o pastor Paul lhe contou mais sobre Jesus, Sameer se ajoelhou ali mesmo. Outros dois pastores que estavam pregando no evento se aproximaram e ambos impuseram suas mãos sobre a cabeça do jovem e todos os líderes oraram por ele.

Sameer contou que teve uma visão estranha. Ele se viu indefeso, sendo atacado por animais selvagens e mantido entre os espinhos na selva. Ele tinha certeza de que sua vida estava prestes a terminar.

De repente, Jesus apareceu como um pastor, salvou-o dos animais selvagens, libertou-o dos espinhos e levou-o em seu ombro. Andando com ele o que parecia uma longa distância, Jesus então o colocou gentilmente em um rebanho de ovelhas, seguro atrás de uma cerca bonita e forte.

“Você é meu filho”, disse ele a Sameer. “Eu marquei você nas minhas mãos como seu salvador. Agora, seja minha testemunha.”

A resposta de Sameer à visão foi imediata: “Senhor eu aceito você como meu salvador!”, gritou ele. “Eu serei sua testemunha.”

Batizado em poucos dias, Sameer logo se juntou à organização Bíblias para o Oriente Médiocomo evangelista. Quatro anos depois, vivendo e trabalhando em um vilarejo remoto do norte da Índia, ele continua a testemunhar o incrível amor e a graça de Jesus Cristo, ganhando muitos para Cristo entre a população muçulmana e hindu local.

Ao distribuir folhetos evangelísticos seis meses atrás, assaltantes ainda desconhecidos o atacaram. A situação teria sido muito pior se alguns hindus vizinhos não o tivessem protegido. E todos os seus protetores logo se tornaram cristãos também!

A maioria dos aldeões não apenas aceita, mas tem muito carinho por Sameer. Em uma região com água escassa e sem encanamento interno, ele tem ajudado a cavar poços de água e a instalar banheiros em suas casas.

Por favor, orem por ele e por todo o trabalho que ele e as Bíblias para o Oriente Médio tentam fazer, com a ajuda de Deus, em tantas áreas restritivas e perigosas.

Fonte: CPADNews