Policial é punido e preso por falar sobre Cristo em reunião no Nepal

Um policial no Nepal foi repreendido e punido por falar sobre sua fé em Cristo em uma reunião religiosa pública no início deste mês, disseram fontes. Dilip Bhadur Gurung, da Polícia das Forças Armadas do Nepal (NAFP), estava de licença por três meses quando no dia 2 de outubro, falou durante uma reunião pública em Gulmi.

Um repórter local publicou um artigo de opinião sobre sua palestra e foi assim que os superiores de Gurung tomaram conhecimento. Gurung foi preso em Palpa no dia seguinte e enviado de volta ao seu departamento em Tanau.

Uma fonte que pediu anonimato disse ao Morning Star News que seus superiores decidiram suspender sua promoção departamental por cinco anos como punição. Outra fonte disse que as autoridades estão empregando um duplo padrão.

“É um tipo de injustiça. Se ele estivesse falando sobre o hinduísmo ou o budismo, ele não teria enfrentado nenhum problema”, disse o pastor B.P. Khanal, ativista social no Nepal.

“Levar o nome de Jesus é arriscado ao falar em público. É uma ofensa contra a lei. As pessoas são tendenciosas e estão procurando uma oportunidade para prender cristãos”, ressaltou ele ao Morning Star News.

Na reunião em Gulmi, Gurung falou sobre como sua fé em Jesus o ajudou a garantir um bom trabalho e abençoou sua vida familiar. O repórter escreveu que Gurung estava pregando e tentando converter pessoas.

“O jornalista estava escrevendo de acordo com seu entendimento da lei, ou seja, como um funcionário do governo pode pregar sobre qualquer outra fé”, disse o pastor Khanal. “Ele viu que Gurung estava carregando uma Bíblia e, portanto, levantou objeções”, colocou.

Após a reunião, Gurung saiu e se hospedou em um hotel em Palpa. Ele foi preso pela polícia na manhã do dia 3 de outubro. O repórter, que o seguiu, informou os superiores de Gurung e chamou a polícia em Gulmi e Palpa.

A polícia chamou o oficial de Gurung no comando e seu superior o enviou para seu posto em Tanau.

Evangelizar é um crime

A evangelização é proibida pela nova constituição do Nepal, aprovada em setembro de 2015, como estava sob a constituição anterior. Mas, a nova ajudou a incitar o sentimento anticristão.

Embora a nova constituição estabeleça o Nepal como uma república democrática e secular, sua definição de “secular” parece proteger o hinduísmo e permite que outros apenas adorem em sua própria fé. O Artigo 26 proíbe que alguém converta uma pessoa de uma religião para outra.

Fonte: Guia-me / com informações do Morning Star News | 31/10/2018 – 17:00