Empresária abandona carreira para plantar igrejas em regiões de extrema pobreza na Mongólia

As estradas que saem de Ulaanbaatar, a capital da Mongólia, continuam por muitos quilômetros até a distante cidade de Chinggis. De lá, as estradas diminuem para meros caminhos de cascalho que seguem pelos pastos da província Khenti.

É de Chinggis, onde o transporte se torna mais difícil para chegar às seis igrejas que estão fortalecendo o Evangelho nas aldeias mais remotas. Deus está se movendo e respostas estão chegando de formas inesperadas.

Uma ex-vendedora de peças de carros está investindo em presentes simples em caixas de sapatos para plantar mais igrejas. Ela sabe que esta é uma grande oportunidade para alcançar os perdidos.

Tuya Tserendash deixou seu lucrativo negócio em Ulaanbaatar para ir à escola bíblica aos 52 anos. Após a formatura, ela retornou à província de Khenti, onde cresceu criando gado. Agora isso ajuda a servir a crescente igreja nesta área que é amplamente budista e animista.

A chamada “Operação Criança” oferece presentes em caixas de sapato com brinquedos, roupas, material escolar e artigos de higiene. Ela viajou para várias aldeias que as igrejas de Chinggis têm conduzido.

Processo

Quando os aldeões ouviram o Evangelho apresentado junto com essas expressões tangíveis do amor de Deus, alguns aceitaram a Cristo e eles começaram a se reunir para estudar a Bíblia. Seis igrejas surgiram em locais onde nunca havia se falado de Jesus.

Hoje, algumas das novas congregações estão oferecendo cursos de discipulado e um estudo bíblico com lições projetada especialmente para quem recebe as caixas de sapatos. Através de 12 lições, as crianças crescem na fé e se tornam pequenos evangelistas em suas famílias e comunidades.

Quando perguntada sobre a influência dessa estratégia na Mongólia, Tuya diz: “É uma ótima oportunidade e uma ferramenta para alcançá-los. As igrejas da Mongólia não têm muito para dar, mas sei que essa ideia ajuda as igrejas locais”.

Através do conhecimento mútuo e da oração e da decisão de onde os presentes serão entregues, as igrejas individuais deixam de lado suas diferenças para colaborar no cumprimento da Grande Comissão de Cristo.