`As igrejas não foram reconhecidas antes, mas eu reconheço´, diz Trump a pastores

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se reuniu com pastores na Casa Branca na última quarta-feira (1º) para discutir a reforma nas prisões, o desenvolvimento da força de trabalho no país e a parceria do governo com as igrejas.

“Ao longo da nossa história, as igrejas e os líderes religiosos dos EUA pediram mudanças e nos inspiraram a cuidar e levar esperança aos necessitados”, declarou o presidente a líderes como a pastora Paula White e a Dra. Alveda King, sobrinha do pastor Martin Luther King Jr.

“Também ressaltamos a importância crucial da fé na promoção de famílias e comunidades fortes. Vocês são admirados por todos neste país. Mesmo que não sejam crentes, a maioria deles admira o que vocês estão fazendo. Mas talvez nós façamos eles serem crentes, certo?”, acrescentou Trump, sorrindo.

Em seguida, um momento de oração foi conduzido pelo pastor John Gray, da Carolina do Sul. “Oramos para que o Senhor continue dando sabedoria e discernimento ao nosso presidente e sua equipe de liderança”, clamou o líder.

Os pastores e bispos aproveitaram a reunião na Sala do Gabinete para agradecer a Trump por colocar o cristianismo na vanguarda de sua administração.

“Obrigado por tudo o que você está fazendo e por reconhecer as igrejas como parceiras sua e do governo”, disse o pastor Benny Perez, de Las Vegas. “As igrejas não foram muito reconhecidas nos últimos anos. Nós reconhecemos”, garantiu Trump.

Liberdade religiosa

O bispo Kelvin L. Cobaris agradeceu a Trump por cumprir o compromisso de garantir a liberdade de expressão para a comunidade cristã. “Observei você, dia após dia, dando liberdade para a comunidade de fé e sendo nosso parceiro para fazermos o que fomos chamados a fazer: impactar nossas comunidades”.

Em resposta, o presidente falou sobre a importância da revogação da Emenda Johnson, que proíbe igrejas de estabelecerem um posicionamento político em relação a temas como aborto e casamento gay. “Vocês não podiam falar porque tinham medo da repercussão negativa. E nós mudamos isso”, observou Trump.

O pastor Mike Freeman, de Washington, relembrou que durante sua campanha presidencial, Trump afirmou que “os cristãos teriam um amigo na Casa Branca”. “Eu estava ansioso para descobrir se essa palavra seria ou não mantida. Estou feliz em saber que você é um homem de palavra. Você tem um ouvido que ouve Deus”, afirmou.

“É uma honra tê-los aqui. E vocês sempre terão um amigo na Casa Branca. Vocês sabem disso”, Trump destacou.

Fonte: Guia-me / com informações da CBN News – Foto: Andrew Harnik/AP