Arqueólogos descobrem moedas que foram usadas por cristãos perseguidos há 1.400 anos

Moedas foram descobertas ao lado de um edifício desmoronado de dois andares, que uma vez serviu de abrigo aos peregrinos cristãos que estavam a caminho de Jerusalém

Uma coleção escondida de antigas moedas de bronze que podem ter pertencido a cristãos que fugiam das forças invasoras persas foi encontrada na estrada para Jerusalém em uma escavação arqueológica.

As moedas datam da era bizantina do século VII dC, e foram descobertas pela Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA) em uma escavação que começou em junho de 2016.

As moedas descobertas poderiam ser facilmente datadas porque elas trazem as imagens do Imperador sob as quais foram feitas. Neste caso, eles carregaram os ícones dos imperadores Justiniano (483-565 AD), Maurício I (539-602 CE) e Flávio Focas Augusto (547-610 CE). Todas foram todos cunhadas na atual Turquia. Cada moeda mostra a imagem do imperador em vestimentas militares, carregando uma cruz, enquanto o outro lado mostra sua denominação.

As moedas foram descobertas ao lado de um edifício desmoronado de dois andares, que uma vez serviu de abrigo aos peregrinos cristãos que estavam a caminho de Jerusalém. A escavação também descobriu um antigo espremedor de uvas.

“O tesouro foi encontrado entre as pedras grandes que tinham desmoronado ao lado do edifício”, disse a diretora da escavação, Annette Landes-Nagar. “Parece que, em um momento de perigo, o dono das moedas as colocou em uma bolsa de pano, que ele escondeu dentro de um buraco na parede. Provavelmente esperava voltar e recolher seu dinheiro”.

Os arqueólogos acreditam que o esconderijo foi feito por cristãos que fugiam da invasão persa Sassânida em 614 dC. Essa invasão marcou o fim do Império Romano do Leste, e o local das moedas ficou abandonado até desaparecer de vista. As ruínas de uma igreja bizantina também estão nas proximidades do local.

Outras descobertas

A Autoridade de Antiguidades de Israel também apresentou no último domingo (19), outras dezenas de objetos datados do século I, que permitem aos historiadores uma compreensão mais profunda sobre a vida e a morte de Jesus Cristo.

Diversos objetos descobertos recentemente na região de Jerusalém e na Galileia compreendem vasos, utensílios de cozinha, restos de lagares para o vinho e até mesmo ossários com inscrições em hebraico e pregos das crucificações

 

Fonte: Guia-me / com informações do Christian Today